“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

ALVORADA


E a noite me veio
com ares de bonança,
repleta de afetos...
Aumentando saudades,
inventando toques de mãos,
improvisando carícias
 - em verbos aquecidos -
penetrando o mais profundo
do coração...
Livrando-me do peso
 do existir
ao me colorir
com tons de alvorecer.
Plantou asas em meus sonhos,
clareou feito dia,
serenando os meus olhos
de alegria.
  
Lumansanaris
Imagem: Google

2 comentários:

  1. A alegria enche os olhos com um brilho que nenhum outro sentimento tem a mesma capacidade. A alegria difere do amor na cor que enche os olhos...Parabéns amiga, um poema que nos inspira a navegar nas letras...

    ResponderExcluir
  2. SERGIO NEVES - A suavidade permeia esses teus versos Lu. Ternos e aconchegantes! / (...deu pra sentir aqui, com intensidade, esse momento por ti descrito). / Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics