"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

I P U Ã

Moldei porções de beijos
na forma de teus lábios, amor,
em línguas que se revelam
somente ao Braille das nascentes...

Dediquei-te, singularmente,
uma leitura que extingue 

a pluralidade de nossas águas 
que motivam, deliciosas fontes
de intransferíveis culpas.

E também me descobri,
 misticamente culpada, pela criação 
de um mundo geográfico 
à tua boca de amparos
- aos meus confortos e inquietações -

Na propagação dos desejos 
de uma alma consentida
tão fundo, noutra alma, que 
não lhe cabe mais, o regressar.

Duas almas, que são ilhas 
em comunhão de diálogos 
e calendários, abarcados...

...Protegem-se mutuamente 
por um tudo que ainda é mais, 
muito mais que a[mar].


Imagem: Tumblr
*Ipuã - Ilha
[Em Tupi Guarani "água que brota da terra"]

9 comentários:

  1. Que linda poesia, parabéns. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  2. Lucy, a grandiosidade que sinto em teus versos, sensação única!
    De uma beleza que chega a me doer a alma, parabéns!

    ps: Precisaria de horas para dizer os encantos que teu livro tem me proporcionado, és imensa poetisa!

    ResponderExcluir
  3. Poema de uma beleza ímpar! Adorei

    Excelente semana. Beijo
    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
  4. Minha amiga,
    todo o teu poema carrega uma beleza arrebatadora e incomum nos versos, porém na passagem "Duas almas que são ilhas em comunhão de diálogos e calendários, abarcados" nesta passagem, abordas com imensa grandeza a importância do respeito, conhecimento e aceitação do outro! É tão extensiva esta passagem!
    Sempre sábia, encantando cada vez mais quem te lê.
    Amiga, parabéns!
    Forte e terno abraço, Humberto.

    ResponderExcluir
  5. LU:

    Interessante neste poema de amor, na minha precária interpretação, é a forma como colocas os sentimentos em difíceis metáforas. Na primeira estrofe, por exemplo, dizes que os sentimentos que moldam teu amor somente podem ser visto por aquele que entendem as línguas do tato. Entendo assim, pois que o “Braille” é a linguagem do tato. Só quem é igual entende tal linguagem. Toda a poesia é no sentido do amor puro. Poema complexo, mas muito bem elaborado que fala, no meu entender, do amor sublime, de almas gêmeas que se doam em beneficio unicamente um do outro. Amor é verdade, utópico neste mundo, mas que é penso eu, a verdadeira finalidade da Vida em toda a sua eternidade.
    É como eu te digo sempre minha doce amiga: Quem volve a vista para além das fronteiras do comum e para as ilusões passageiras desta vida, enxerga através da alma...
    Um forte abraço com a admiração de sempre;
    Nelson

    ResponderExcluir
  6. Doce Lu, como são lindas as tuas visões!
    Parabéns querida amiga.

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo amiga!!! Versos ternos e delicados como suas digitais!1 amei. Parabéns, bjs de saudade!! (Longe dos olhos mas perto do coração)

    ResponderExcluir
  8. Adorei o vídeo que deixou, mas tem os comentários fechados.

    Beijos e um excelente dia.

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics