"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

VIAS DE FATO



O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
*Fernando Pessoa

É nesse rasgar da alma
que me sangram as vias.
De fato
que todo poeta é meio triste!
E até mesmo
quando a dor de ser, insiste,
se houver o parto de um poema
então todo o sofrer
fez valer a pena.

**Lumansanaris
Imagem: Google

7 comentários:

  1. oi Lu

    A verdadeira poeta quanto está triste escreve e expressa de forma mais doce seus sentimentos.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Uma bonita poesia.
    Todo poeta tem muita sensibilidade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. A delicadeza com que a poeta faz, esqueço que o tema é tristeza!
    Sublime demais Lucy, aplausos!
    Incondicionais e gratos carinhos, Ferreira.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Lucy.. parir uma poesia é o melhor que podemos fazer.. a tristeza de fato bate a porta mas só fica se a gente permitir.. beijos amiga querida
    até sempre

    ResponderExcluir
  5. Li e comentei no Face. Lindo poema, Lu!

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo jogo de palavras com o Pessoa. Parabéns, poetisa.

    ResponderExcluir
  7. Lu! li seu comentário no blog e já esclareci o que me pediu.
    Abraços, poetisa.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics