“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

SOMENTE AO QUE FOI BOM


Insustentável saudade que treme
incandescências à pele
orvalhando rosários em rezas
de súplicas e gratidão.

E faz do espírito, um viajante
empalidecido em rotas pretéritas
do horizonte que sonha 
e habita.

E cisma de querer
mudar a marcha das nuvens,
abrindo vãos de anil que recordem 
aos anjos, o seu destino
- impedir que as distâncias
sejam eternas -

Pois que um tanto de dor insiste
em beleza e impressão 
  profundas, de um retorno 
do que nunca se foi.

...E talvez nunca se vá
- pois que não almeja tal liberdade -
Antes e sempre, o testemunho
de incontáveis voos
- esplêndidos e suaves –
de asas que trazem uma imensidão
 ao peito.

Insustentável saudade
que faz dos olhos, dois cálices 
transbordantes de razões que impeçam
a morte de certas essências.

Pois que antes, bem antes
 trocam-se os nomes
- disfarça-se a dor num riso -
e o que era saudade, 
passa a se chamar lembrança.


               Imagem: Google

14 comentários:

  1. "O que era saudade passa a ser lembrança". Doce menina, o que pode ser acrescido neste verso que coroa um poema inesquecível...

    Forte abraço, e a admiração de sempre.

    ResponderExcluir
  2. Por outras asas também se alcança o céu.
    Lindos demais os teus versos Lucy!

    ResponderExcluir
  3. Que linda! A saudade machuca sem querer e é a mais bonita das dores! Quantas vezes mentimos pra nós mesmos dizendo que é só uma lembrança porque só o coração é capaz de entender. Versos lindíssimos! Cada dia mais prazeroso vir aqui.
    Minha querida, tudo de melhor e belo.

    ResponderExcluir
  4. Soberbo poema! Parabéns. Amei

    Uma excelente semana, beijinhos

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
  5. Muito belo o teu poema, inscrito da tua alma,
    do teu sentir sublime:
    "e o que era saudade
    passa a se chamar lembrança."
    Toda saudade tem uma bela história construída de
    sentimentos, o mais belo sentimento, o amor!...
    Parabéns, minha Amiga!

    Uma semana inspiradora,luminosa e feliz para ti.
    Beijo e abraço de paz, de alma para alma, Lu...rss

    ResponderExcluir
  6. A bondade genuína (característica presente no coração da amiga poetisa) transforma as letras em energia benéfica. Doce existência!
    Emocionado com teu insistente crescimento, minha eterna doce amiga Lucy.
    Forte e terno abraço, Humberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Humberto, emocionada fico eu com tamanha generosidade, muito obrigada, de coração.
      Amigo precioso que o tempo nunca afasta, gratidão, respeito e carinho.

      Excluir
  7. Um caminho longo esse de transformação, mas que vale a pena percorrer.

    Palavras sensíveis e sábias (não me canso de repetir) que sempre me emocionam ao ler.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  8. SERGIO NEVES - ...uma pena eu não possuir o domínio de um vocabulário mais abrangente à altura de poder expressar aqui, como eu gostaria, toda a grandiosidade poética (e sentimental) que eu senti nesse teu escrito! /// Meu carinho, Lu.

    ResponderExcluir
  9. Meu pai tinha razão quando disse que possuías uma imensa sensibilidade.
    Lindo poema Lucy, aplausos!

    ResponderExcluir
  10. Olá Lucy

    Passando para agradecer a tua doce visita em um dos meus espaços. Como sempre respondo quem por la passa pela primeira vez, está respondido o teu comentário e muito obrigado pelas palavras e fique à vontade para voltar quando quiser. http://asasdosversosmeus.blogspot.com.br/2016/09/sei-te.html?m=1s .

    Otimas as tuas sensíves digitais. Gostei muito! Parabens!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  11. "O que era saudade torna-se lembrança" nosso destino indisfarçável, indesejável mas inevitável. Quando quer cutucar os sentimentos profundos, tu és Mestra.
    Meu beijo e meu carinho, Lu.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics