"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

O LIVRO


                                         Quis pressentir a palavra
                                         - Escondida -
                                         Nas folhas unidas,
                                         Duas a duas
                                         Lacradas...

                                         ... E como único socorro
                                         A lâmina
                                         
D'um abridor de cartas.
                                      
                                        Libertando, pouco a pouco 
                                        Claridades permitidas
                                        À lupa dos olhos...

                                        Num espetáculo de curiosidades,
                                        Desassossegos e prazeres
                                        Enquanto que o tempo
                                        Neste momento,
                                        Já era como que um arlequim.

                                       [ O corpo do livro grávido
                                       De tantas almas em páginas ]

                                       E os olhos mágicos 
                                       Vendavais que transformavam
                                       Os sentidos em aves
                                       Migratórias. 
   
              Imagem: Tumblr


13 comentários:

Anônimo

Wowwwwwwww
Really, really beautiful!

Kisses!

Amanda Lopes

"O tempo como personagem de distração"

Lucy, menina, quão puras são tuas belezas!

"Transformar os sentidos em aves migratórias"

Teus versos imperam, parabéns menina dos gigantes alcances!
Imenso prazer estar aqui!
1 Beijo.

Amanda Lopes

Relendo, de uma beleza incomum!

Lucy Mara Mansanaris

Muito obrigada pela generosidade.
Carinho e gratidão.

Bell

Que lindo, que seu dia seja tão lindo qto os seus versos.

bjokas =)

Amanda Lopes

Eu agradeço!
Repito, tuas letras são puras menina! O tempo não nos distrai, ele nos consome! Porém os teus versos trazem a doçura de uma criança, é maravilhoso senti-los em toda amplidão!
Aplaudindo em pé Lucy!

SOLIDARIEDADE

O requinte na tradução do prazer que nos dá a leitura.
Só tu mesmo, querida poetisa Lu.
Beijos.

Anônimo

Olhos que derramam tanta magia, que lindo poema Lu! Querida amiga passando para deixar um abraço muito saudoso, com o desejo de que tudo de melhor lhe venha!
Inêz Drumond

Nelson Medeiros

Lu
De fato, menina. Nesta vida inúmeras situações, inúmeros fatores, vez por outra,desencadeiam em nossa alma sentimentos que surgem, ora com a fúria de vendavais, ora com a suavidade de brisa marinha... Dentre muitas, a leitura de um livro pode nos levar realmente a viagens fascinantes, onde percorremos distâncias inimagináveis, e, quase sempre adentramos no escaninho do cofre de nossa consciência que é a viagem mais longa e mais difícil de todas. Depois, como se fossem mesmo aves migratórias , eles retornam ao ponto de partida. Ai escrevem esta pérola de poema.
Forte abraço, querida amiga, com a admiração de sempre.
Nelson

Suzete Brainer

O livro é um portal para a viagem da
transcendência, este teu livro-Poesia
nos encanta com o pouso das
palavras da tua pura claridade-Ser!...
A tua poética é sublime, Lu!!
Beijinho.

Miguel Jacó

Boa tarde Lu Mansanaris, teus versos enredam uma personagem que divaga entre as asperezas dos fatos, e a leveza dos seus sonhos, parabéns pelo eloquente poema, um beijo com muito carinho neste teu zeloso coração, que o meu coração tanto ama, MJ.

Salete

Ler um livro é conhecer outros mundos. É mágico.

Lindo, Lucy.

Beijinho.

jacó Filho

Belíssimo e contagiante mestra! Adorei... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

Real Time Web Analytics