"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

N I R V A N A


"Se a libertação não está em mim, não está, para mim, em parte alguma"
Fernando Pessoa

O exercício da paz
é-me muito próximo
ao do fogo que nasce
entre dois gravetos
sustentados por dedos
e um bom tamanho
de dedicação.

Todo o resto é efêmero
e a todo o resto
dou o direito de partir.

Posto que as necessidades
são individuais
e os indivíduos nem sempre
estão prontos.

É preciso maturidade
para saber lidar
com as inconstâncias
das emoções.

E é preciso traquejo
para as coisas que não são
do nosso jeito.

[Andar, sempre em par 
com a humildade]

Tendo-se um pouco disso
tem-se sabedoria.

Ter, quem permaneça
ao nosso lado,
mesmo durante as nossas
inconstâncias...
...Ah, isso é ter amor!

E todo amor e não,
merecem cuidado.

Pois que em tudo
há algo de extraordinário
e todos somos pontos
de fusão.

Seja rumo ao infinito
ou, ao lugar comum
ou até a lugar nenhum.

Que possamos ser
justos e adequados,
gravetos e trabalho
para que o nosso contato 
resplandeça algo de luz.


Fotografia: Tom Lacoste


11 comentários:

  1. Magnífica inspiração. Amei. Uma linda semana para vcs. que moram em meu coração. Beijo

    ResponderExcluir
  2. Very strong and beautiful!
    Very nice!
    Hugs and kisses.

    ResponderExcluir
  3. ...coroado com Gayatri. Criaste, Lu, uma bonita imagem da relação na senda.

    ResponderExcluir
  4. Seja bem vinda, minha filha!
    De volta ao seu verdadeiro EU.
    Amo-lha!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Fiat lux and light, always, our fire, forever and ever, querida poetisa Lu.

    ResponderExcluir
  7. Pensei ter comentado.
    Esse poema possui uma sabedoria exorbitante. Que suas digitais possam resplandecer por longa data.
    Brilhante Lucy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Amanda.
      Você havia sim, porém, sem querer eu o apaguei, não só o seu.
      Faltava me desculpar com você e de coração faço agora.
      Aproveito para agradecer a sua generosidade e carinho para com as minhas letras. Um abraço.

      Excluir
  8. Bom dia Lu, este prefácio já nos da um norte do que vem a frente em teu poema, somos inquilinos de dois palácios o da esperança, e o dos desenganos, o problema é quando passamos mais tempo no palácio dos desenganos, aí caímos nos versos do Pessoa, para sermos exitosos nesta frágil e complexa caminhada da vida humana, precisamos exercitarmos a paciência, a caridade, e a piedade, sem estes elementos jamais saberemos destingirmos o que seja felicidade, ou desalentos, muito menos conquistarmos a tão sonhada paz, parabéns pelo vosso eloquente poema, um beijo com carinho em teu generoso coração que o meu coração tanto ama, MJ.

    ResponderExcluir

  9. Lu
    Li teu poema e parei. Parei para meditar. Como tem utilidade para o espírito uma texto elaborado com profundidade. A magia da palavra bem dirigida é assim: Leva cada um a volitar em vários mundos, em vários planos, em várias moradas.E foi isto que este lindo texto me faz fazer. Ler, reler e meditar ....
    Tudo que ultrapassa a direção da Paz, em todos os sentidos, é realmente supérfluo. “Todo o resto é efêmero e dou o direito de partir”.
    O emparelhamento com a humildade (não com a subserviência) é, verdadeiramente, trazer sempre um pouco de sabedoria.
    Que belo entendimento e exposição do AMOR... Ter quem nos ouça em qualquer circunstância, procurando sempre entender e jamais criticar inutilmente é ensaio de para o amor Maior, sem dúvida único caminho que nos levará, penso eu, ao contato com a Luz resplandecente que buscamos há milênios.
    Um mimo a tua inspiração, aqui,
    Grande abraço e a admiração de sempre.
    Nelson

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics