"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

INFINITO


Quantos soluços, noites e dias 
ser-me-ão necessários?
Quantas perguntas?
Quantas respostas de enganos?

Quantas vezes terei que me prometer
que amanhã o riso chega
Entender que me enganei
mas que amanhã, vem?
Quantos amanhãs me serão necessários?

Quantas coisas que nunca foram coisas
deixarão de ser? Desistirão?
Meu Deus quantas vezes vou falhar 
em esquecer esquecendo os motivos?

Quantos silêncios terão que me calar
para que o amor adormeça?
...E não me restem mais sonhos...

Quantos exílios serão necessários
para que a alma se acostume
com a própria falta de si?

Quantas luas chorarão comigo?
Quantos céus me serão preciso?
Qual será o tamanho da solidão
depois de tantas abstinências?

Qual resposta os meus olhos trarão
quando me perguntarem
- quanto você amou?

...Na profundidade dos silêncios 
que me gritarão por socorro, 
ainda assim, nunca compreenderão.

Ainda que um raio me caia na cabeça
e tudo por fim se apague
Eu ainda teria vivido 
em imensidão e febre
todas as esperas desse amor.

Que de tão grande e tão sonho
 ainda que a vida me fosse breve
Ainda assim, acreditaria
 que os dias me tardaram a passar. 


Imagem: Google

7 comentários:

  1. Amar a ponto de acreditar que qualquer dia tenha sido muito? Que lindo isso!
    Só é triste por ser sentido! Lindo!
    Bjos, Rê.

    ResponderExcluir
  2. Dizer o que diante de versos tão profundos, tão sensíveis? Sei lá...me silencio em reverência! abraços, ania..

    ResponderExcluir
  3. Minha amiga
    Compareço, aqui, apenas para dizer que li o teu poema. E isto me basta... Mesmo porque que se pode acrescentar à fina arte?

    Grande abraço
    Nelson

    ResponderExcluir
  4. Realmente, sem amor a vida demora demais para passar.
    Lindo Lucy, de uma profundidade abissal!
    1 abraço, Renato.

    ResponderExcluir
  5. Esse poema, menina, junto com a sua frase rolante "Quanto maior a fidelidade de um coração, maior a sua solidão." Dizem mais sobre você que todos os outros poemas juntos. Sinto que a autora chegou ao ápice!
    Imensamente prazeroso!
    Forte e terno abraço, Humberto.

    ResponderExcluir
  6. Poema intenso de uma alma em conflito que busca por respostas.Mais humano impossível, Lucy e eu me vi muito no poema.
    Belíssimo, querida.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics