“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

P A L A V R A S


Palavra boa é aquela que gera outras palavras
ou que cala, porque está grávida
Palavra que amordaça não tem graça
É pior que fumaça de cigarro
Ainda corre-se o risco
de acumular pigarro na alma.

Palavras soltas, desorganizadas
Fazem rir, franzir o nariz
e quando franze,
há a chance de rir-se uma vez mais.

Palavras ensaiadas
fazem bonito sempre
Mesmo quando não se entende bem
a tendência é de acompanhar os aplausos
Então elas crescem, ficam ainda mais bonitas
aos olhos e ouvidos.

Palavras desbotadas
Tímidas, sem muita coragem
Bobagem é ter medo
quando muitos nem nos escutam. 

Palavras estudadas
tão repletas de respostas
Palavras esperadas
Às vezes chegam tardias
noutras chegam erradas
e têm vezes que nem chegam.

Palavras que dizem tudo e não alcançam
métricas, metros, corações
Que não diminuem distâncias
e nem provocam paixões.

Palavras adocicadas,
próximas a um diabetes
Palavras chocolates, flores
estrelas, nuvens e chão
Pa_la_vrão
- alívio instantâneo –

Palavra praga
Ah essa não cabe na vida
nem no poema
é coisa pequena, melhor esquecer.

Palavras de amor
Cabem todas as palavras dentro do amor
Sentimento danado de bom esse!
Acrescenta valor a todas as letras
suspira nas reticências
e sofre pela ausência das palavras 
- as que querem ser ouvidas
e as que querem ser faladas -
O amor é o que melhor faz 
as palavras serem sentidas... 

Palavras catedrais
Na glória dos mármores e altares
ditas a milhares
Palavras casuais, simples
e acessíveis a qualquer um.
Palavras que acendem, cochicham delícias
e algo mais
Palavras curvilíneas e sensuais...

Palavras que embriagam
Indispensáveis palavras
a quem diz ou a quem ouve?
Aos dois
a nenhum dos dois
a multidões...

Mas melhor mesmo é a dois
arfantes e suadas
Tatuadas, grifadas, eternizadas. 

Palavras simples, fáceis e usuais
Talvez por isso, esquecidas também
Palavras complicadas demais
enfeitam dicionários.

Palavras, palavras, palavras
desperdício de vocabulário
O silêncio tão contrário
é às vezes mais precioso
por carregar consigo
o que não cabe ser dito.

Imagem: Google

8 comentários:

  1. Boa noite Lu, teus versos dissecam a palavra e as suas adjetividades em todos os aspectos aplicáveis, e o faz com muita propriedade, porque tens sempre muito zelo ao te pronunciar, sempre com a devida preocupação de não contaminar, o que desejou afagar, lendo teu postulado com muita atenção, concluo que tiro daqui valiosos aprendizados sobre o aconselhável desferimento da palavra, parabéns pelo vosso incisivo poema, e primorosa ilustração, eu te desejo um final de semana de muitas satisfações, junto aos teus entes queridos, um beijo com muito carinho neste teu bondoso coração, que o meu coração tanto ama, MJ.

    ResponderExcluir
  2. E as suas palavras são tão belas que não dá vontade parar de ler. Linda poesia!

    ResponderExcluir
  3. Explendido por não caber tantos significados em sí abunda em semântica singular e de extraordinária beleza. Grato por compartilhar elevadas reflexões.

    ResponderExcluir
  4. Lu esse poema ficou completo, não tem o que comentar.....cada dia mais vc surpreende com sua forma ímpar de expressar...parabéns.....bju- Abá

    ResponderExcluir
  5. Grande poetiza:
    Que belíssimo poema!
    Nada existe aqui para acrescentar sobre o tema: PALAVRAS... Quaisquer que escreva não exprimirão o gosto desta leitura. Foste perfeita.
    As metáforas das palavras estéreis em analogia a palavras férteis no sentimento de gerar alguma coisa são simplesmente PERFEITAS. Extrema felicidade da inspiração de momento.
    Dizer mais seria “ desperdício de vocabulário”...
    Um abraço.
    Nelson

    ResponderExcluir
  6. SERGIO NEVES - ...minha querida amiga, "mataste a pau"! -(palavras meio que um tantinho chulas essas, mas, eu acho que resume muito bem toda a contundente e sensível grandeza desse teu escrito...) // ...pelo visto não há mais nada o que se possa dissecar sobre "palavras",...disseste tudo! ...e de forma fascinante! // ...como demonstras ser nisso "a" mestra, tomara que essas minhas palavras a seguir, pelo sentimento afetuoso e sincero com que as escrevo, tu as insiras num bom -e particular- quesito: Mil carinhos Lu.

    ResponderExcluir
  7. Nossa que lindo!
    Adorei ler.
    Prazer em conhecer o blog
    janicce.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics