"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

PRETÉRITO


Fitei um retrato
e me vi anteriormente
numa época de outros medos...

...E me quis pegar no colo
no instante em que experimentei
o pedaço de um tempo 
que ainda não passou
 - pois que agora me são outas
as respostas -

Quis me socorrer
na cisma de ter encontrado
a palavra certa
e as angústias desnecessárias.

Fitei-me tão íntima e profundamente
que me vi à frente do retrato
neste tempo de agora,
refletida no vidro da moldura.

E mais uma vez 
quis me pegar no colo 
e me socorrer 
neste abismo do agora,
estas curvas que não sei
para onde levam...
...Neste tempo que não pausa
para ser visto,
- dentro das perguntas que me encabulam -
Neste hoje tão incerto
onde quase tudo ainda é espera
e promessas...

Vi-me presa numa órbita tão incerta
que temi até a próxima letra
no ensaio do poema.






Boas Festas!



Desejando a todos um natal verdadeiramente santo.
Que possamos dizer sim a Jesus, aos nossos amigos, familiares, irmãos desconhecidos, animais, enfim, que a vida seja celebrada a partir do nascimento que mudou o nosso destino.

Que 2016 chegue trazendo em seus ares um pouco mais de generosidade (sim, 2015 foi um ano complicado, mas, está no fim e continuamos vivos!)
Que a paz e o amor sejam sempre a nossa escolha!

Boas festas!

NÃO SEI QUANTO

               Se te amo, não sei...
               Pois o que sinto, nem tanto descreveria
               cresce e diminui o encanto
               e ainda continua tanto e tão mais além.

               Se te amo não sei 
               porque voo nas asas do silêncio
               a revelia do que sei e desconheço
               sendo que só em ti me convenço.

               Se te amo não sei 
               como até aqui, aonde cheguei
               nunca antes havia vivido isto
              "Te preciso" em inédita urgência!

               Se te amo não sei 
               o porquê destas horas arrependidas
               quando no compasso da vida
               a tua mão me falta como guia.

             Se te amo não sei
             porque não me rendo ao cansaço
             das coisas que nunca mudam
             O meu peito nunca mudo ao nome teu.

               Se te amo não sei
               porque quando quase tudo me consome
               a tua lembrança em chamas me diz - ama -
               E uma lua me floresce um novo fôlego.

                Se te amo não sei
                porque toda noite te vejo nesta mesma lua
               Os meus olhos sobem aos céus a tua procura
               e comovem-se à luz de tua essência.

               Se te amo não sei 
               porque o pranto vai e volta de repente
               no aprendizado de novos sentires, adolescentes
               neste querer-te mais que bem, frequentemente.

               Se te amo, não sei o quanto
               nem o tanto descreveria...
               Nem as regras da lei, nem os versos da poesia
               simples assim... Nem a morte, arrancaria.

                                                                                                   
             
                             imagem: Tumblr

PÓ DE ESTRELA


"Somos poeira de estrelas..." Carl Sagan

Trago sempre uma lágrima
Debruçada aos olhos
Inextinguivelmente.

...Trago uma lágrima
Para regar os momentos
Em que não tenho como dizer.

Tenho um sorriso também
Que é ninho para as alegrias
Asa e sol de partilha.

...Tenho um sorriso
Que disfarça os momentos
Em que é melhor não dizer.

Tenho uma lágrima que rega,
Um sorriso que germina
E silêncios que me zelam.

Atrasos em horas emprestadas
Astúcias que necessitam de pausa
Imensa e farta, pó de estrela.


 Imagem: Ludovic Florent 


O TEU RISO


Colhi um riso prematuro
Ainda semente
Para plantar no terreno fértil
Do teu coração.

Separei o melhor grão
Porque me faz falta
A permanente cintilância
Do teu olhar.

Colhi um riso semente
E reguei com um beijo
Agora preciso
De teu cuidar.

Sei que o teu peito guarda
A melhor estação
Sei que tudo se faz
Protegido em ti.

Por isso amo quando sorris
Porque o teu riso
Tem a brisa que me oxigena
E encoraja

Porque ele é a rede
Onde descanso
E nascem
Os melhores sonhos.

Porque quando sorris-
- De verdade -
Os meus sonhos
Tornam-se realidade.


Imagem: Google

DES_DIA DO BEIJO

Bastava um beijo, um só
U N Z I N H O...
...Coisa rápida
A ideia de um selinho
Já consolava.
Mas não houve beijo
Sequer em abreviação.

Nem sonho
Nem hortelãs
Nem manchas
Ou retoque de batom.

Não às salivas peraltas
E rodopiantes
Não às borboletas no estômago.
Não, não e não!

As calças permaneceram calçadas
As saias ensaiadas
As letras comportadas
Nenhuma sirene tocou
Nenhum coração se alterou.

E o juízo, ah pobre coitado
Ficou ali, aprisionado
Louco para se perder!

Tudo permaneceu
Catastroficamente normal
Sequer um selinho
Naquele correio...

Nenhuma palavra
Que desenhasse um beijo.

Recado dado, ponto final
Ponto final!

Imagem:Google

VIAJANTE

                                                                                                       
Não te assustes se eu gritar
Pois que galáxias de silêncios 
Contrários foram me construindo...
...Eis a minha estrada...
Apenas eu sei de meus pesos
Apenas eu... E Deus!

O sangue que navalha as artérias
Os soluços do coração
Essa solidão repleta de gentes
E motivos
Respiro, ainda vivo.

Esses motivos todos
Que nem cito, que nem sei
Estas e aquelas lições
Contradições...
...Todos, bem vivos...

E porque tudo está tão vivo,
Adormeço
À margem de tantas 
Lágrimas que só eu reconheço.

Pauso agora em mim
Neste meu tempo
Nesta curva em que não me cabe mais
O esquecimento.

Lembro-me depois de tanto
Porque 
Chegou a hora de gritar
Os meus silêncios
Ainda assim
É só uma parada na estrada. 

Imagem: Google


P A L A V R A S


Palavra boa é aquela que gera outras palavras
ou que cala, porque está grávida
Palavra que amordaça não tem graça
É pior que fumaça de cigarro
Ainda corre-se o risco
de acumular pigarro na alma.

Palavras soltas, desorganizadas
Fazem rir, franzir o nariz
e quando franze,
há a chance de rir-se uma vez mais.

Palavras ensaiadas
fazem bonito sempre
Mesmo quando não se entende bem
a tendência é de acompanhar os aplausos
Então elas crescem, ficam ainda mais bonitas
aos olhos e ouvidos.

Palavras desbotadas
Tímidas, sem muita coragem
Bobagem é ter medo
quando muitos nem nos escutam. 

Palavras estudadas
tão repletas de respostas
Palavras esperadas
Às vezes chegam tardias
noutras chegam erradas
e têm vezes que nem chegam.

Palavras que dizem tudo e não alcançam
métricas, metros, corações
Que não diminuem distâncias
e nem provocam paixões.

Palavras adocicadas,
próximas a um diabetes
Palavras chocolates, flores
estrelas, nuvens e chão
Pa_la_vrão
- alívio instantâneo –

Palavra praga
Ah essa não cabe na vida
nem no poema
é coisa pequena, melhor esquecer.

Palavras de amor
Cabem todas as palavras dentro do amor
Sentimento danado de bom esse!
Acrescenta valor a todas as letras
suspira nas reticências
e sofre pela ausência das palavras 
- as que querem ser ouvidas
e as que querem ser faladas -
O amor é o que melhor faz 
as palavras serem sentidas... 

Palavras catedrais
Na glória dos mármores e altares
ditas a milhares
Palavras casuais, simples
e acessíveis a qualquer um.
Palavras que acendem, cochicham delícias
e algo mais
Palavras curvilíneas e sensuais...

Palavras que embriagam
Indispensáveis palavras
a quem diz ou a quem ouve?
Aos dois
a nenhum dos dois
a multidões...

Mas melhor mesmo é a dois
arfantes e suadas
Tatuadas, grifadas, eternizadas. 

Palavras simples, fáceis e usuais
Talvez por isso, esquecidas também
Palavras complicadas demais
enfeitam dicionários.

Palavras, palavras, palavras
desperdício de vocabulário
O silêncio tão contrário
é às vezes mais precioso
por carregar consigo
o que não cabe ser dito.

Imagem: Google

CONTRA_TEMPO


São como lâminas
As nuvens que embaçam o olhar
E mascaram verbos

São destas nuvens
Que se chovem os dentes afiados
Que atracam carne e ossos

Roem, rangendo trovões
Alagam rios de cinzas e tormentas,
Desfragmentam crenças.

Estação de sombras
Uma pequena parte, de tantas outras.

É como um mapa
Desenhado errado, atraso na viagem.

Imagem: brooke shaden 


MÍSTICA


Dizem os astros
que a Estrela da Manhã
entrou na casa de Escorpião
expandindo a energia onírica
dos perigos e fantasias.

Façamos então de nosso leito
uma concha gigantesca
diluindo-nos em espuma do mar
como primeira consequência
do ato de amar.

Pois que envolvidos neste paraíso 
sensorial, tornamo-nos deuses
de nosso próprio clã.

Eis que as nossas palmas abrigam
todo um universo
onde constelações inteiras são criadas
a partir desta oferta.

...Sei que conheces a mística
do quanto dois corpos em arrepios
podem se iluminar na escuridão. 

Percebe então
que até os planetas se alinharam
para testemunhar a energia
- luminosa e impulsiva -
deste meu estar
mais em ti do que em mim.

Que as nossas almas se confundam
enquanto as carnes se diluam
por entre dentes, línguas e dedos,
libertos sejam, todos os medos!

Pois o sangue que nos ferve
foi fecundo e absolvido pelos astros
e tudo o que nos cabe agora
corrobora para o êxtase e prazer.


Imagem: Google
Real Time Web Analytics