"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

FRAGILIDADES


Talvez o meu coração se cale
pela única esperança
de que tu o conheças,
saibas dos seus sonhos e desejos,
suas posses e vazios.

E talvez chamas o consumam
a cada lembrança e a cada nova aposta
que insistem sempre em querer-te
- ter sem nada ter! -
E ainda assim, a saudade
irá consumir em mim, o pouco que me havia,
e novamente tu me terás restado.

O meu coração, talvez se dobre
curvando-se, prostrando-se
num último fôlego, num último segundo
e a minha prece ainda será em tua intenção.

Talvez se quebre o meu coração
oferecendo ameaça
a tudo mais o que tentar aproximação
guardando-te, insistentemente,
no centro, protegido.
E ainda que não saibas,
vez ou outra te permitirá escapar
no contorno de uma única lágrima
que sorri a sua estrada...
... outras, no afogamento
de um oceano inteiro, dentro de mim.

O meu coração talvez nunca perdoe
essa falta de simetria com a razão
e talvez nunca se aceite
e talvez nunca se pertença
e talvez nunca se convença
do tamanho da loucura desta devoção.

E mesmo quando triste o meu coração
tomado pela mágoa, dor e pavor
- por tanto sentir sem nada ter –
ainda assim,
o seu pranto será como canção
de um sentimento que tem
como única vaidade,
ser amigo de um tempo
que outros chamam de eternidade.

E talvez para sempre serás a raiz,
o céu e o chão,
serás o detalhe de cada estação,
carne, alma e espírito
florindo as horas de toda uma vida
que não sabe ser, sem te pertencer.

Nenhum outro olhar será o bastante,
acredito até 
que quanto mais me forem dedicados
maior será o peso de tua ausência.
E nenhuma palavra será suficiente
nunca haverá tradução, nem entendimento
também nem poderia,
posto que sempre foste
a minha maior fragilidade
dentro dos meus maiores transbordamentos.

lumansanaris
imagem: tumblr

7 comentários:

Renato Alves

Lendo e relendo, alma arrepiada!
A poetiza alcança uma profundidade que me fascina, parabéns menina pela singularidade das suas digitais!
Abraço do fã Renato

Regina Costa

Miga, acho q este é o mais bonito seu! Só os fortes se sabem e se mostram frágeis! Bj

Mar Arável

Tantos são os azuis

Denis Correia

Olá.

Belíssimo texto... gostei muito.
Meus parabéns e uma boa noite.

;D

Anônimo

SERGIO NEVES - ...fragilidade é o sentimento que me acomete, enquanto poeta(?), frente à portentosa magnificência dos teus poemas... / Carinhos.

Helio Pastre

ESSAS INTENSIDADES CONDENAM E ABSOLVEM!
LINDO DEMAIS!
FLORES! PARABÉNS POETISA QUERIDA!

Camila

Incrível Lu!

Real Time Web Analytics