"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

L O N J U R A S


                    Ai como me doem
                 as palavras nascidas
                 para o abatimento!

                 Outrora
                 alimentavam-me as asas,
                 agora, 
                 esmigalham-me os ossos!

                 Tentei pedir ao tempo
                 um pouco mais de ontem
                 mas o ontem, jaz,
                 morreu de cansaço,
                 afogado pelas águas pesadas
                 da desconfiança.

                Morreu por falta de esperança
                e excesso de tolices...

                Palavras feridas 
               - renegadas pelo firmamento -
                nunca mais voam.

                Pedi ao tempo
                um pouco mais de ontem
                mas, do ontem,
                apenas o sentimento.

                Também para o hoje,
                essa vã tentativa
                de amar-te um pouco menos.

               lumansanaris 25/01/15
               Imagem: Google

 

V E R N I Z


                   Que mal tem
                  insistir que sim,
                  - está tudo bem -
                  e sorrir querendo chorar?

                  Que mal há
                  em fazer força pra esquecer
                  o motivo do sofrer
                  e ainda mais lembrar?

                  Pouco importa
                  esse sentir-se estranha
                  “o tempo todo, em todo o tempo”
                  ver o dia cinzento
                  e pintar o céu de vermelho...

                  Qual o problema
                  em olhar-se no espelho
                  e encontrar uma falta no lugar?

                  Então faço de conta 
                  que não quero chorar...
                  Invento um motivo,
                  uma fuga,
                  esperando da lua
                  alguma tranquilidade.

                  Empresto uma imagem
                  algo que agrade 
                  - nem precisa ser de verdade -
                  e mesmo não sendo
                  ainda assim, cada ato
                  nascerá feito carícia.

                  lumansanaris
                  Imagem: Google
   
 

A N E L O S


                                 Aquele par de olhos
                                 cintilados por sonhos
                                 na soleira da janela,
                                 debruçados.

                                 Por vezes,
                                 fugiam pelo quintal
                                 assistindo ao vento
                                 embalando margaridas.

                                 Sorriam àquela valsa
                                 arraigada à terra
                                 uma florada de somente
                                 bem-me-queres...

                                 Tudo sob o som d’um riacho
                                 que se expandia 
                                 sobre as pedras
                                 e caprichoso arremessava
                                 cores pelo ar.

                                 E aqueles olhos 
                                 calados orvalhavam
                                 na soleira da janela
                                 viajantes,
                                 tardavam o acordar.

                                             lumansanaris
                                             Imagem: Google



 

A Z U I S


Confessar-te-ei todos os dias
este amor que teima
em reflorescer-me de azuis.

E no espelho de meus olhos
contemplarás a confiança
- muito próxima a última de um vivente
absolutamente crente de sua salvação –

E então, em nosso céu
hão de desabrochar todas as afinidades
as estrelas se abrirão em flor
e em cada cadente,
teremos a semente de um novo tempo.

Bem mais doce que antes,
bem mais leve que os ventos,
repleto de intimidades simplicíssimas.

E nos momentos mais intensos
em que a nossa carne provar o castigo do ardor
desafiamo-nos a morte por amor.

E se acaso algo der errado
recorro ao mar
e uma brisa marítima virá em nosso socorro.

lumansanaris   
Imagem: Google


H O R I Z O N T E S


Preciso agradecer ao sal 
das minhas muitas lágrimas,
e as doridas madrugadas 
que pareciam nunca 
encontrar um fim.

Pois foi justamente
toda essa salmoura sentimental
que me fez despertar.

Então eu entendi
que cada um dos amanheceres
surgem para me reestruturar
visto que neles,
as minhas quotas todas
estão zeradas.

Agora, cada novo alvorecer
atiça-me a fome das vontades, 
direções e necessidades,
preenchendo-me de vida!

Então, a tudo, só me resta agradecer
tudo o que foi, ainda que não tenha sido
como o planejado.
Ainda assim foi... 
- Cumpriu a sua missão! -
Doou-se somando-me algo,
lapidando-me para o que fica.

E ao que permanece,
como posso não amar tamanha coragem?

Pois para permanecer
é preciso muita flexibilidade
e uma insolúvel verdade 
que alimente as suas razões
por este - estar sempre comigo -
usando-me e servindo-se de abrigo,
numa constante divisão
que a tudo multiplica.

Então, só me resta mesmo agradecer
em atos, palavras e gestos
nascidos em meio
a esse meu constante processo
- de sempre ganhar -
ainda que tenha que perder.

Agradeço a vida
por neste momento,
ser a minha melhor escolha.

E mil vezes mais, agradeço a vida
pelas preciosas vidas que
sem pestanejar
eu aceitaria morrer. 

lumansanaris
 Imagem: Google
  

E C L I P S E


Acho que nunca vou me recuperar dessa ausência de agora,
que veio antes, mas nunca foi embora
apenas soma as horas e, insiste em ficar.

Ausência que me acompanha
mostrando que ainda é meu, o que eu não tenho,
que habita em mim, toda a presença do que me falta.

Ausência essa, que planta abismos em meus pés,
pedras nos olhos
e soluça silêncios enlouquecidos pela dor.

Essa ausência de agora... Na soma lenta das horas
nessa minha espera pelo o que nem sei mais,
só o que sei, é a dor que me causa...

Tenho em mim, o que me falta
e nada mais me foi dado.

lumansanaris
Imagem: Google

Real Time Web Analytics