“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

R E C O R D A Ç Ã O


                            A recordação é uma sedutora fragrância
                           somada à suaves notas de esquecimento
                                                         refinadas pelo tempo
                                          em cada uma de suas estações.

                                         É a soma de todos os momentos
                                         bordados com fios de felicidade
                                            num tecido chamado saudade.

                                                           É preciosa bagagem,
                                                     construída pelo passado
                                                 que o peito traz, silencioso,
                                          quase que em forma de oração...

                                                                    Mas há também 
                                                    aquelas de sabor amargo,
                                    mais conhecidas pelo nome de lição.
                                                   São como gotas de orvalho 
                                                           escondidas nos olhos,
                                       aguardando o sol do aprendizado
                                 para finalmente, repousarem ao chão.

                          Recordação, também pode indicar solidão
                                              se, no dia a dia, tornar-se raiz 
                                               de uma vida vivida sem chão.

                              É a posse que não se oxida com o tempo
                                                      aliás, quanto mais tempo,
                                                       muito mais recordação...


                                                           lumansanaris, 2012
                                                              Imagem: Google


5 comentários:

  1. Lirismo e sensibilidade abundantes, assim é Lucy!
    Poetisa enviei-te um correio porém ainda não obtive resposta, no aguardo de um possível sim.
    Grato pelo momento, Humberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Humberto, respondi a pouco.
      Obrigada pelo carinho e lembrança.

      Excluir
  2. Que lindos e profundos versos amiga!! penso que as coisas boas a gente guarda num lugarzinho especial pra mão se perder dentro de nós, pra sempre relembrarmos. Mas as más...pode nos ensinar mesmo mas o melhor é esquecê-las, e seguir a vida. Amei teus versos, bjs

    ResponderExcluir

  3. LUCY.

    Que confortáveis recordações eu tenho da época que acreditava em Papai Noel, cegonha e que os coelhos colocavam ovos...

    Um abração carioca

    ResponderExcluir
  4. Belíssimo e reflexivo... Certamente somos a soma de nossas recordações... Adorei...

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics