“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

O C A S O


                                            Há um acorde infinito
                                         em cada gesto que prossegue
                                         junto com a marcha incansável 
                                         das horas.
                                         
                                         Mas pauso-me 
                                         em meio a tantos cansaços,
                                         respirando profundamente
                                         o silêncio das últimas horas mornas.

                                         E é esse perfume de tarde
                                         que chega mimetizando 
                                         o externo em mim,
                                         num ritual de carícias e cuidados
                                         fazendo com que 
                                         o desabrochar da primeira estrela
                                         desperte em meu íntimo,
                                         uma canção antes adormecida.

                                         Despeço-me então dos sonhos 
                                         alquebrados pela realidade.

                                         Enquanto isso, no jardim do céu
                                         faz-se primavera de estrelas
                                         que docemente acordam, 
                                         todas as minhas saudades.


lumansanaris
      Imagem: Google

 

DESCONHECES


Sabes de muito,
Acho mesmo que sabes.

Sabes do mundo
E todas as regras quebras.

Sabes do mar e da lua
E em meu peito navegas.

Sabes dos caminhos
Trilhas de espinhos e perfumes.

Sabes do ventos
O soprar dos quatro cantos.

Sabes das palavras
A boa lavra, poesia...

Sabes da poesia
Verdade, mentira, riso e pranto.

Sabes de muito, sabes tanto
Apenas a mim desconheces.

Lumansanaris
 Imagem: Google

GRITO MUDO


Trago nos pés
 o cansaço das trilhas de vidro
e sonhos estilhaçados.
Também comigo
as amarras de uma intolerância
 por engano deixada
onde deveria estar preservada
a liberdade do amor.
Por ora, dou-me o único direito
as lembranças de tudo
o que nunca existiu...
Suplicando a todo momento,
o próprio resgate, absolvição
e devolução de minha alma.
Culpo a coragem, foi justamente ela
que me cegou assim,
permitindo que na soma das horas
houvesse a desmedida redução
de mim.
Talvez por isso, agora deseje tanto
um pedacinho desse tempo
chamado passado...
Quisera apenas poder me socorrer,
e direcionar melhor o perdão
resgatando novamente 
a visão clara e desprotegida
- ao menos nas certezas
dos doces sentires-
Mas não... Hoje, tudo é nada
e nisso concerne infinita dor...
E é pela dúvida que me chega
um pouco de acalanto
e para todo o resto,
eu nada sei...
Então se procurar respostas,
pergunte à dor, essa mesma
que agora me ocupa o peito
pois exatamente ela
é que mais sabe sobre mim.

Lumansanaris
Imagem: Google
Video: etne Al
(vídeo adicionado em 19/03/17 vindo pela indicação de Amanda Lopes)
Gratidão, amiga. É lindo  (mesmo que eu não concorde com alguns pontos, rs...)
*Amei a ideia de liberdade e a sinceridade exposta, a música é linda 
e o teu gesto tem uma doçura que me encanta.
Meu carinho mais transparente e amigo.


Real Time Web Analytics