"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

NAUFRAGADA


                                         Feri todos os dedos
                                         tentando me agarrar à margem.
                                          Agora, sangram exaustos!
                                          Teimo em não afundar
                                          mas as águas, também insistem 
                                          em crescer.
                                          Ainda tento, a todo momento.
                                          Com olhos naufragados,
                                          uma alma fracassada
                                          e uma saudade que não é minha.
                                          Essas pedras são meus caminhos
                                          que de tão estreitos,
                                          fizeram-me sozinha,
                                          numa jornada em desalinho.
                                          Sangram os dedos,
                                          permanecem os medos.
                                          Enquanto um vento frio
                                      navalha o pouco que havia
                                        na alma.
                                      Em dias assim,
                                          o amanhecer se faz tarde
                                          e a beleza permanece oculta.
                                          Continuo só, estranha e indigesta!
                                          E o mundo também me parece
                                          em desuso, porém, preso
                                         em alguma margem...
                                          E mesmo que alguma força me notasse,
                                          - espero não ser reconhecida. -

                                          lumansanaris
                                          Imagem: Google

6 comentários:

  1. Como pode uma alma assim como a sua se sentir tão naufragada? Fracassada?? Como pode poetisa?
    Meus braços cheios de carinho lhe envolvem num abraço que poderia ser de um pai.
    Parabéns sempre desse fã incondicional, Fernando.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Lu. Que bela inspiração. Adorei. Muita luz e paz. Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  3. Lindo e profundo!
    Às vezes a dor nos sufoca, nos domina e nos toma como se fosse uma obsessão espiritual. Mas passa...

    ResponderExcluir
  4. A força, profundidade e imensidão na forma como descreves tão devastadora solidão e tristeza, darão sempre a ti as ferramentas, poéticas ou não, que servirão de contraponto para superar qualquer entrave da alma ou do coração. Ah sim, estás naufragada? sem problemas para quem tem fôlego de gato, neste caso, gata.
    Abraços, querida Lu

    ResponderExcluir
  5. SERGIO NEVES - Teus versos são de uma força que me impressiona cada vez mais!
    ...e esse teu poema demonstra muito bem isso, retratas um amargor tão denso e profundo que me senti naufragando junto... / Meu carinho e minha admiração Lucy.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde, Luma. Estive aqui outro dia, li a poesia, mas não pude comentar, exigia de mim uma atenção maior que no momento eu não podia dar.
    Quantas vezes sangramos os nossos dedos procurando a superfície e somente conseguimos nos afundar perdidamente a esmo.
    O medo permanece porque não conseguimos enfrentar as situações que aparecem, não as resolvemos e nos deixamos levar pelas turbulentas águas de problemas e solidão.
    Mas o fracasso não é inerente à nós, somos seres que não sabemos a tamanha força existente que possuímos a ponto de deixarmos o que é dor e lutarmos contra as adversidades.
    Seremos náufragos se permitirmos, poderemos sim viver na superfície, olharmos tudo ao alcance dos nossos olhos sem as águas turvas.
    Uma linda inspiração que emocionou a minha alma.
    Parabéns!
    Seu talento me encanta!
    Tenha uma semana de paz!
    Beijos na alma!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics