"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

N A D A


                    Nasci assim
                    mente e coração inquietos.
                    Talvez por isso
                    essa falta de harmonia entre eles
                    e a permanente dor na alma.
                    Ah, o meu coração
                    quase sempre não cabe em mim...
                    Cansa-me essa luta diária,
                    esse respirar que o alimenta de vida e
                    rouba da minha.
                    Esse nó preso na garganta
                    soluça-me palavras
                    que até parecem desconexas, mas
                    isso é só aparência,
                    pois são intensos os sentires...
                    Esse é apenas mais um detalhe
                    e ao leitor, não faria diferença alguma.
                    Isso nem é um poema,
                    a verdade é muito triste,
                    as esperas não se esgotam,
                    as feridas estão abertas,
                    qualquer tentativa é um erro,
                    a inocência uma burrice,
                    as palavras são o meu grito
                    e o silêncio, já nem mais representa paz.
                    Perdi ali
                    naquele momento em que
                    escolhi ser eu...
                    Isso tudo, é nada.

                                                lumansanaris
                                                Imagem: Google

 

5 comentários:

Anônimo

Não sei de onde vem tamanha intimidade com as letras! Mesmo sem rima alguma, apenas sagacidade e sentimentos (como se fossem pouco) ainda que seja narrando cansaços, a beleza e delicadeza sempre presentes!
Intenso poder mergulhar em suas letras menina poeta, obrigado.
Com carinho e admiração, Humberto

Anônimo

SERGIO NEVES - ...sentida e amargamente triste! / ("...e ao leitor, não faria diferença alguma.". .. -em se tratando de um escrito teu, discordar sei que é um sacrilégio, mas,...) / Carinhos Lucy.

SOLIDARIEDADE

Apesar de todo o amargo de tuas palavras, nunca deves esquecer que a dor guarda a sua própria contradição e como somos seres totalmente contraditórios, a única saída para estes sentimentos malévolos é procurar, silenciosamente, por cada fresta, cantinho ou esquina da alma, onde a danada da alegria e felicidade se escondem. Dá trabalho, mas é lúdico, desafiador e com um belo bônus no final.
Bela semana, Lu.

Anônimo

Amiga que lindo isso!
Horas maduras são as que passo ao seu lado, te amo demais viu!
Beijos imensos, Flávia.

Sony Azevedo

Bom dia amiga querida. A alma sempre irá questionar o ego e suas mazelas. A alma é leveza, pureza... O ego, densidade... E, a consciência da alma vê o nada em tudo que não é essência. Lindo demais. Muita luz e paz. beijo no coração. Correndo para pegar Arthur. Depois eu volto. Bjs.

Real Time Web Analytics