“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

UNGUENTO


Não me incomodam fases assim
em que os poemas todos, nascem tristes.
É como um desfolhar de outono
um preparar-se ao novo.

E ainda que sem pressa para partir
Absolutamente nada me reflete sofrimento
pois nasci aspirante a poeta
a dor para minha alma é unguento.

Lumansanaris
Imagem: Google


3 comentários:

  1. Lindo amiga! Há dias que tudo nos leva aos tristes escritos, muito embora a alma esteja plena de alegrias. Muita luz e paz. Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  2. SERGIO NEVES - ...a tua poesia para minha alma é unguento! / Beijo carinhoso Lu.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com que tu dizes, Lu, em certos momentos (desconfio que em todos), a dor, tristeza e sofrimento, são verdadeiros linimentos para o coração e para a alma, fazendo com que enxerguemos muito mais e melhor onde estamos e para onde devemos ir.
    Abraço, peotisa Lu.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics