"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

DOENTE


Ai... Como me dói a vida!
Doem-me as feridas do viver
dói-me profundamente ser.

Aquele plano de felicidade,
mais parece mágoa antiga
Deus, quanta morte há na vida?

Furtaram-me os sonhos todos
entristeceram o meu riso
não vivo nem sobrevivo, improviso!

E tudo mais é somente abandono,
ferida aberta sem pressa de cicatrizar,
coração foge do peito, medo de sangrar.

Engasga-me o coração sempre em fuga,
é um constante sentir-se doente,
mundo repleto de corpos, almas ausentes. 
  
Lumansanaris 
Imgem: Google

5 comentários:

★MaRiBeL★

==============
..........(¯`v´¯)
...........`•.¸.•´
.........(●̮̮̃•̃)..(●̮̮̃•̃)
......... /█ ♥/█
============== B. E. S. O. S....★MaRiBeL★

Anônimo

A sensação é que mesmo que lhe esmaguem os ossos
ainda assim, brotará beleza...
Parabéns poetiza. Beijos, Paulo.

SOLIDARIEDADE

Quando a doença é da alma, dizem que existe cura, mas quando é do coração, aí a coisa é um pouco mais complicada mas não impossível de se curar. Só quero que faça uma poesia tão cheia de significância e feliz, quando encontrar a cura.
Abraços, Lu

Miguel Jacó

Boa tarde Lu, são tantos os enfrentamentos desta materialidade, que por vezes, as ilhas de felicidades passam desapercebidas, parabéns pelo contundente poema,um forte abraço, MJ.

Beleza Sem Fim

Que o coelhinho te traga muito mais que simples ovos de chocolate… Que ele te traga muita saúde, amor, felicidade, compreensão, carinho…
Bjs

Real Time Web Analytics