"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

MONÓLOGO AO AMOR


                      Nunca te classificarias, amor
                     como algo impossível, nunca!
                     Posto que és real e sentido por mim.
                     Percebes? Já aprendeste a rir do tempo
                     e suas demoras
                     aliás, sabes bem que são delas 
                     o melhor esmero à eternidade.
                     Tens sobrevivido aos maiores desafios
                     e hoje sentas lado a lado com a saudade.
                     Às vezes ris dos calos deixados por ela,
                     já noutras, evades para dentro de ti
                     voltando-te apenas à redenção do sentir.
                     Ah bendito sentimento - nobre e insano -
                     domador de minhas loucuras tantas.
                     Temos formado um laço com o tempo
                     nessa nossa necessidade do sentir.
                     Então, peço-te:
                     “- Quando incomodado com os limites 
                     dessa minha humanidade
                     quiseres molhar a minha face,
                      faças baixinho...
                     Não deixes ninguém perceber 
                     que o sentimento quando é tanto,
                     também faz sofrer.”

                      lumansanaris
                      Imagem: Google

 

RETALHOS

               
                    Nasci assim, desconstruída
                                          e desde então
                          inspiro-me nos retalhos.
                     Num dia, costuro alegrias,
                                          sonhos e fé...
                                    Noutro, tristezas,
                                  dores e decepções.
                                        E faço a bainha  
                               de minhas saudades
                       para que não me desfiem
                                                 as forças.
                 E quando o nó aperta demais
                               lavo-me em prantos,
              às vezes, pelo amor perfumado
                      noutras, pela dor, salgado.
                 Esperando no sol de amanhã
             o alívio dos meus pesos de hoje,
            estendo-me no varal das ilusões
                                           como forma
                       de amenizar as cicatrizes
                                que me construíram.
                                        E todo o resto,
                            é apenas densa poeira
                         que o vento se encarrega 
                                                 em levar.

  lumansanaris
Imagem: Google 

PARA MINHA MÃE


                        Sabe mãe, precisei crescer pra entender
                       o seu jeito tímido de demonstrar amor.
                       Senti  falta desse conhecimento,
                       e, de alguns abraços também...
                       Mas, olha bem onde cheguei,
                       nada teria acontecido sem o seu sim!
                       É Raquel eu lhe fiz avó
                       e foi lindo demais ver isso acontecer!
                       Quem diria, que seria preciso uma Maria
                       pra lhe ver amolecer? (risos...)
                       É, você mudou muito depois dela...
                       Ah, obrigada por sempre me dizer
                       que tem prazer em ver, a mãe que me tornei,
                       isso me aquece demais o coração,
                       porque me sei reflexo de você.
                       Então, olha bem, presta atenção
                       a Maria está crescendo muito rápido
                       e logo agora você decide retroceder?
                       Ah Raquel o que deu em você?
                       Cansou de viver as coisas sérias da vida?
                       Se for isso, está certa, a sua missão está cumprida
                       então pode brincar de engatinhar
                       e se quiser levantar,
                       vou estar aqui mãe, com as duas mãos estendidas
                       e talvez, algumas lágrimas no olhar ao chamar:
                       -Maria vem ver,  
                       a vovó levantou pra brincar com você.

Lumansanaris
Imagem: Google 

 

ENTRE O MAR E EU


Saudade do mar,
das tantas ondas que me abraçam
e o “ChegaPraLáQueEuQueroPassar” de suas águas.
O insistente arder de meus olhos
provocado pelo sal que me descarrega
o peso de todas as mágoas.
Saudade da paz que de tanta,
faz-me pedir uma onda a mais
e outra... mais outra... e outra...
até as forças se exaurirem...
Saudade do caminhar na areia
lembrando-me de que cada passo,
deixa marcas
e que o vigor e o cansaço nascem
a partir dos caminhos que decidimos trilhar.
Ah o mar, também me faz lembrar
que nem toda água, sacia a sede
e que o sol faz nascer a sombra também.
E que ele sempre vem... e passa...
brincando com a lua de noite e dia,
marulhando as suas ondas
como recital de uma poesia que não tem fim.
Saudade de ouvir o mar e suas vozes
dizer das minhas,
sabendo-me verdadeiramente ser ouvida.

Lumansanaris
Imagem: Google

METAMORFOSEANDO


Eu, leve como o vento
numa alegria que ecoa
invade todo o ambiente.

Num fôlego renovado
brincando com coisas sérias
onde tudo, é tão de verdade.

Sonhos tão reais
e a minha vontade de ser-te
ainda mais...

Força que vai muito além
transbordando-me o coração
fazendo derramar olhos e mãos
...rios, cachoeiras e oceanos...

Deu-me um chão de estrelas...

Saio de mim, para ter em ti
a paz que eu preciso.

E as dores do mundo
já nem são mais.

Trago-te guardado aqui dentro
como a razão de meu amanhecer
presa a este teu olhar de resgate.


Lumansanaris
Imagem: Google

COLHEITA


Espero-te, hoje e sempre,
cada dia mais...
Então quando puder, vem!
Juntos, podemos provar 
para as coisas todas
que não precisamos delas.
Deixemos de ser dois,
sejamos apenas um
na forma mais simples do existir.
Amanheceremos poesia 
desenhada na luz de cada propósito.
Numa harmonia tão absoluta
que em nada se preocupa,
apenas flui, mimetiza..
Ah amor, amo-te tanto
tão simples & GRANDE.
Então, desarmada de vaidades,
provo-te que o sentimento vivido
no dia seguinte,
brota muito mais forte que antes.

Lumansanaris 
Imagem: Google

DELONGAS


Aguardo o dia em que um sorriso
chegue rasgando essa dor
premiando-me com alguma medida - extra -
de amor,  só a mim endereçada.
Aguardo o dia de ser amada
e quando chegar, não quero nada
além de sentir tudo o que antes,
nunca esteve aqui.
E no momento em que a tristeza me deixar
até arrisco um vaso de flores
sobre a mesa.
Que sejam breves, se assim quiserem
mas não antes de perfumar
este meu raro momento,
que tão raro, teima em não querer chegar.
  

Lumansanaris
Imagem: Google

DOENTE


Ai... Como me dói a vida!
Doem-me as feridas do viver
dói-me profundamente ser.

Aquele plano de felicidade,
mais parece mágoa antiga
Deus, quanta morte há na vida?

Furtaram-me os sonhos todos
entristeceram o meu riso
não vivo nem sobrevivo, improviso!

E tudo mais é somente abandono,
ferida aberta sem pressa de cicatrizar,
coração foge do peito, medo de sangrar.

Engasga-me o coração sempre em fuga,
é um constante sentir-se doente,
mundo repleto de corpos, almas ausentes. 
  
Lumansanaris 
Imgem: Google

DIMINUTA


Agora que trago essa voz afogada
poderia até dizer que digo
e que você não entende nada.
Poderia...
Talvez se assim o fosse,
tudo ficaria mais fácil,
só que eu também escrevo
e lhe descrevo o que sinto...
Porém os seus olhos, a mim
também permanecem fechados...
Então calo os meus gritos - soluço -
e no tempo que me resta
rio de tudo o que zomba de mim
rio não, correnteza, no olhar...
Dizem que as pedras se comovem
com o mar
ah, mas eu, eu nasci correnteza
e o meu destino 
é o de sempre, sempre passar.

Lumansanaris
Imagem: Google

DETALHES DE UM ANJO

 
A um amigo, com carinho 
E ele se apresentou
em suas linhas de ternuras
bordadas em fina seda
aromatizada por sinceridades.

E descobri uma pureza tanta
que um novo mundo se fez
dentro e fora de mim.

Ele se descortina sem medo
abrindo as portas do coração
fazendo os sonhos todos entrarem
enquanto que a dor, 
o cansaço e os limites todos,
ficam lá fora...

E na fortaleza desse coração
o céu é sempre estrelado
e há tantos sóis 
e luas também!
Os astros todos dançam 
em serena harmonia.

E as suas pernas, caminham sonhos
sem pressa alguma.
Atravessam abismos,
enfrentam e vencem a dor!

Benditas pernas e suas missões
nenhum outro par delas faria melhor...
Ah Deus... Como poderia um anjo
limitar-se ao alcance dos pés
tendo asas assim, 
tão grandes para voar
e um coração tão infinito
que não cabe em si?

Então, transborda por aí
tornando tudo a sua volta
muito mais bonito.

Lumansanaris
 Imagem: Google


CONTRADIÇÃO

Era pra ter sido
um livro,
reunir, organizar,
vida, poesia.

Mas,
caprichoso me veio
 o vento,
soprando para longe
todas as páginas e
linhas.

Apresentando-me
doridas saudades.

E de repente
não tinha mais
o que sempre foi meu
e continua sendo,
agora ausências.

Na pressa do abraço,
abriu-se no tempo
um espaço,
cheio de demoras.

Então,
espelhos nasceram
do cruzamento
entre esse tempo e
uma certa paciência.

Nunca antes
 havia conhecido
tanto amor,
caos e calmaria,
apoio e abandono.

A emoção
invocou o pranto
batizando os olhos
e mãos,
confortando vez ou outra,
os tumultos do coração.

Agora,
apenas versos soltos
construídos
pouco a pouco
dia a dia.

Manhã de sol,
tarde de neblina,
a noite, garoa fina
e canto das estrelas
no telhado...

E eu
uma vez mais, sozinha
contigo,
sempre ao meu lado.

**lumansanaris
Imagem: Google
  

Real Time Web Analytics