“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

FILHA DE XANGAI

 


A realidade daqueles olhos tornou-se tão dura
que foram necessárias a construção de barreiras.
Mas quando enfim as cores da primavera chegaram
estavam tão cerrados, que nada mais podiam ver.




Sofro de mágoas antigas
cicatrizes e feridas
que não saram mais!

Eu sou filha de Xangai
trago os pés quebrados
honrando a tradição
de meus ancestrais.

Passos pequenos, discretos
 - repletos de dor. -
Condenados a um tempo
em que não se sonhava
apenas se ouvia e acatava.

Os pés quebrados,
em laços amarrados
endurecidos passos, apertados!

Sentenciados aos laços do passado
caminharam tantas tristezas
que nem se libertam mais.

Lumansanaris
Imagem: Google



Real Time Web Analytics