“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

FRÁGIL


                  Eu não nasci para ser rasa,
                  ou para sentimentos rasos...
                  Rasas sensações, nunca me comoveram
                  o raso nunca me moveu!
                  E até à dor
                  permito o direito a última gota.
                  Nasci para os grandes mergulhos
                  e intensas buscas...
                  Também nunca me afoguei
                  apenas transbordo...
                  E quando mergulho de cabeça
                  oferto descanso aos meus pés...
                  Eu conservo amor
                  pelas profundas e grandes medidas.
                  Seduz-me trilhas inexploradas
                  eu as busco, persigo-as, questiono-as!
                  Também nunca tive medo
                  de afundar caminhos que me agradam.
                  Quando por eles, cativada
                   percorro-os densamente,
                  intensamente, repetidamente...
                  Sempre fui assim,
                  apenas o meu sono,
                  não conhece a intensidade,
                  mas os meus sonhos, sim!
                  E também é de meu sono
                  o profundo conhecimento
                  da palavra não...
                  Às vezes, faço-me dura como pedra
                  noutras, sou apenas coração...
                  Frágil demais para ser manuseada
                  e exageradamente complicada!
                  Culpo as buscas,
                  inda estou nelas,
                  quem sabe um dia me acho
                  ou me perco de vez...
                  Tanto faz, já fiz tanto
                  que não me assusta perder tudo
                  Pois internamente, sempre terei algo
                  que me motive a recomeçar. 

                  Lumansanaris
                  Imagem: Google

 

3 comentários:

  1. Boa tarde Lucy.. poesia extensa e bem reveladora...
    ainda bem que sempre podemos recomeçar mas nos perder de vez... melhor não melhor a gente sempre se encontrar dia após dia.. a vida pede para seguirmos e temos tanto a dar a ela e receber também.. bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir
  2. Como pode alguém escrever assim?
    Além da beleza plástica de suas letras,
    me agrada a filosofia.
    Quis fragmentar um verso, mas não consegui,
    gostei do começo até o fim.
    Muito me identifiquei.
    Boa noite! Boa madrugada fria!

    ResponderExcluir
  3. Devo estar meio frágil, pois gostei em demasia,
    mas além da imensa beleza plástica
    de suas letras, me identifico com a filosofia.
    Hoje vai fazer frio, mande mais poemas!
    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics