"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

EM MIM...


Conservo-te em meu cálice
de sede infinita
E em cada emotiva lágrima
que contorna os olhos
e em minha pele dormita.

Em cada oração de minha poesia
Nos  intervalos dos versos
que me roubam o sossego
por te saberem tão imenso
 - Intimidando-me o descrever -

Conservo-te além dos limites do céu
E entre as nuvens de meus medos
Na loucura de tentar manter em segredo
o que já não cabe mais dentro de mim.

No lento caminhar das horas
que recordam de meus braços
a tua dorida ausência.

Conservo-te vivo nos clamores
desta infinita saudade
que em meu peito fizeste nascer
Porque nascendo essa saudade
de amor me fazes
o tempo todo querer morrer. 


Lumansanaris
imagem: Tumblr


2 comentários:

Arnaldo Leles

Puxa!

Andre Brum

Acima dos teus belos versos, a enormidade do teu sentimento impressiona.

Real Time Web Analytics