"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

TEMPESTADE...


Os meus olhos se ferem
ao tentar olhar
para tudo novamente...

Talvez sejam os passos
que perdidos, tropeçam na vida
e caminham apenas feridas.

Talvez os olhos
tenham se encantado
apenas por aquarela.

Talvez a paisagem
não resista a tempestade
e a vida assuma a culpa
por não ter sido de verdade.

Talvez amanhã, invés de tempestade
restem nos olhos, apenas sereno
e todo o sentimento, tido como pequeno
passe a ser do tamanho exato da felicidade. 


Lumansanaris
imagem: Google


4 comentários:

  1. Un hermosa poesía, cuando tenemos dudas todo es mas difícil y siempre espetamos a ver si un mañana venga todo diferente.Un ABRAZO

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Lucy... agradecido da visita... e se tratando de poesia eu tenho de estar presente... muito bela a sua tempestade... todos internamente temos furacões de sentimentos nos arrasando dias intermináveis.. mas um dia vem a bonança e o nosso sol volta a brilhar.. já te sigo tb.. bjs e um lindo dia torno a visitá-la

    ResponderExcluir
  3. Olá Lucy,

    Bela poesia......adorei seus escritos!

    Obrigada pela visita

    Abçs

    ResponderExcluir
  4. ¡Gracias Lucy por tu visita. por tu presencia! El tuyo es mu lindo también...muy bello el poema. Te felicito.
    Un abrazo. Dios te bendiga.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics