"Cabe-nos a tarefa irrecusável, seriíssima, dia a dia renovada, de - com a máxima imediaticidade e adequação possíveis - fazer coincidir a palavra com a coisa sentida, contemplada, pensada, experimentada, imaginada ou produzida pela razão." Goethe

SUSPIROS...


Tão belo é o entardecer na praia
Todo o horizonte em tons de amor
E quando cansado, o dia desmaia
Revela do firmamento todo o fulgor.

Vestido de luto, trilhas de estrelas
De onde garimpo os versos meus
E a alma nua de qualquer cautela
Alumia inspiração, fala com Deus.

Viajo caminhos mais claros qu’o dia
Retratando os sonhos em aquarelas
Perguntam-me se eu desenho poesia
Digo que não; sou desenhada por ela.

Lumansanaris
Imagem: Google


3 comentários:

Ana Bailune

Olá, Lucy Mara. Comentei no Recanto... achei lindo este poema! Bom dia!

Vera Regina Cazaubon

Minha querida teu poema tem sensibilidade jorrando do âmago da alma, parabéns com carinho e um bom final de semana

soninha

Passei para ver a beleza do blog. Sensacional. Vou tentar fazer um para mim. Beijo no coração.

Real Time Web Analytics