“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

O BEIJA FLOR


Pequeno colibri que vem do horizonte
Portando no rostro, beijos aos montes
Dono de um jardim inteiro de amores
Dos mais saborosos e elegantes licores.

Beija-flor que chega planando no vento
Para a vaidosa orquídea fez juramento
Afirmando que tem muitas em sua vida
Mas que entre todas, ela é a preferida.

Pequenina ave de plumagem florescente
Sobrevoando a sua amada, docemente...
Querendo beber das pétalas da casta rosa
Disse a ela que não há outra mais formosa.

Desenvolto, valsa de ré as notas do vento
Tendo nos beijos silvestres o seu alimento
Quando presente, a felicidade vem anunciar
Sensibilidade a ultravioleta a contemplar.

Afortunado ser que rouba das flores o mel
Conhecedor da liberdade voando raso o céu
Visitando suas amantes enraizadas ao chão
Voltando sempre, pois delas é o seu coração.

Lumansanaris
Imagem: Google


3 comentários:

  1. "Valsa de ré nas notas do vento" Você é mesmo muito sensível, amo tudo o que cria, parabéns linda! Também amo você, beijos, Nestor.

    ResponderExcluir
  2. Hermoso texto Lucy cheio de palavras doces y suaves, um prazer pra mim lerte, beijos de poeta.

    ResponderExcluir
  3. Lirica poesia, linda e encantadora. Seu blog está um luxo, feito com muito capricho. Parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho para com as minhas digitais.

Real Time Web Analytics