“Não queiras ter pátria, não dividas a terra, não arranques pedaços ao mar. Nasce bem alto, que todas as coisas serão tuas...” (Cecília Meireles)

NOITES DE NATAL


Quisera esses meus punhos cansados
desenhassem  o natal que vislumbro em sonhos.
Uma festa totalmente ausente de paredes
onde todos tivessem lugar à mesa.

E em todos os pacotes , o mesmo presente
- amor e igualdade a toda gente -
resgatando a dignidade de todo o ser.

E as crianças, viriam à frente
olhinhos brilhantes pra receber seus presentes
Amor, em mãos inocentes...
- alegria, fantasia e incentivo. -

Logo depois,
viriam os mais velhos, os experientes.
E o amor descansando em suas mãos...
- espaço, acolhimento e reconhecimento. -

E estes felizes, convocariam  seus filhos,
pais das crianças primeiras a receber
e eles, por sua vez, receberiam amor...
- sabedoria, consciência e prudência. -

Numa constante preservação de valores...

Amor sendo recebido por todos, sem exceção!
Até a quem nunca o conheceu,
a quem o teve e não soube como usar.

Amor para quem sozinho decidiu caminhar,
amor àquele que acreditava nada mais lhe faltar.

Amor,
batizando o coração de quem plantou lágrimas...
Amor, amor e amor...
E todo o bem que ele é capaz de semear...

Clareando olhos, alma e coração...

Tornando verdadeiramente todos irmãos
curados de todo mal e da fome saciados.

Uma noite em que se fosse compreendido
o que realmente nos é essencial
gerando todas as outras
como se também fossem noites de natal.

Lumansanaris
Imagem: Google

OS LÁBIOS TEUS...

 
Ah estes lábios teus,
apavoram-me os espaços que nos afastam!
Estes lábios teus, junto aos meus
e a completa liberdade
para beber da taça de teus licores
os meus desejos dos teus sabores...

Ah estes lábios teus
quisera pudesse selá-los com o meu amor
provando-te o melhor da  intimidade
ao me fixar neles, feito orvalho no galho
que se aconchega na manhã de outono.

Ah estes lábios teus, assim
distante dos meus, provocam-me o frio da morte
e todos os arrepios e calafrios, só por imaginar
a graça de poder roubar a tua alma num beijo.

Ah, não imagino um momento mais gracioso
em que estando em teus lábios, eu prove do gozo
de ser toda a fome que te atormentará
para que em meus lábios,
os teus lábios, para sempre queiram estar.

Lumansanaris
Imagem: Google

CINZAS



Que virem brasas as folhas que eu tocar
Extinguidos sejam os versos meus
Que minha existência, seja feita de silêncio

 Eu quero mapear as sensações de meu corpo
Seguindo os parâmetros de uma rosa dos ventos
E lacrar cada descoberta, com um laço negro

E em cada um deles, os seguintes dizeres:
- Aqui jaz mais um sentimento!

lumansanaris
Imagem: Google

V I D A


E a vida, essa preciosa posse
vem a nós como um delicado fio de seda
e vai acontecendo...

Os dias vão tecendo a nossa história
e entre derrotas e vitórias,
aprendemos a entender
que ela sempre recomeça
e parte para inúmeras voltas
voltando sempre, para o mesmo lugar,
 - as buscas...-

E a cada novo alvorecer
é nos dada a chance de recomeçar tudo
outra e outra vez
e mais quantas forem necessárias...

Então linhas vão sendo bordadas
protegidas pela verdade absoluta
fugindo de qualquer posse humana...

O tempo é como o novelo que abriga o fio
que a cada minuto, busca a sua outra ponta
 caminhando incessantemente
a este encontro.

E, quando o alcança,
descobre que, o que parecia ser o fim
é na verdade apenas o início...

Neste ato, já não somos mais um fio
mas sim, o trabalho do tempo
resultado dos nossos próprios sentimentos.

Lumansanaris
Imagem: Google



O BEIJA FLOR


Pequeno colibri que vem do horizonte
Portando no rostro, beijos aos montes
Dono de um jardim inteiro de amores
Dos mais saborosos e elegantes licores.

Beija-flor que chega planando no vento
Para a vaidosa orquídea fez juramento
Afirmando que tem muitas em sua vida
Mas que entre todas, ela é a preferida.

Pequenina ave de plumagem florescente
Sobrevoando a sua amada, docemente...
Querendo beber das pétalas da casta rosa
Disse a ela que não há outra mais formosa.

Desenvolto, valsa de ré as notas do vento
Tendo nos beijos silvestres o seu alimento
Quando presente, a felicidade vem anunciar
Sensibilidade a ultravioleta a contemplar.

Afortunado ser que rouba das flores o mel
Conhecedor da liberdade voando raso o céu
Visitando suas amantes enraizadas ao chão
Voltando sempre, pois delas é o seu coração.

Lumansanaris
Imagem: Google


SUSPIROS...


Tão belo é o entardecer na praia
Todo o horizonte em tons de amor
E quando cansado, o dia desmaia
Revela do firmamento todo o fulgor.

Vestido de luto, trilhas de estrelas
De onde garimpo os versos meus
E a alma nua de qualquer cautela
Alumia inspiração, fala com Deus.

Viajo caminhos mais claros qu’o dia
Retratando os sonhos em aquarelas
Perguntam-me se eu desenho poesia
Digo que não; sou desenhada por ela.

Lumansanaris
Imagem: Google


REFLEXÃO


A cada dia eu desejo abraçar a vida com mais força...

Abraçar os meus momentos de paz
e guardar a essência deles
para os severos tempos de guerra.

Abraçar as derrotas e me despedir delas
cedendo o espaço para algo novo e maior.
Sem nenhum medo de tentar
mais quantas vezes me forem necessárias.

Estar alerta para nunca deixar de abraçar
a chegada de um novo amigo,
aceitando com paz, a ausência dos que se foram
convencendo-me de que alguns,
simplesmente nunca foram amigos.

Eu sinto cada dia mais sede de aprendizado
e quase enlouqueço de alegria quando
mesmo cansada, percebo o quanto ainda me aguarda.

Recebo cada novo amanhecer como um presente de vida
e não me limito ao tamanho do obstáculo,
pois adoro subidas e sei cair sem derrubar.

Pois sou uma como completa estrangeira
neste tempo que vivo,
tendo como única bagagem
a constante necessidade do aprendizado.

Conservo fôlego para percorrer
quantas milhas me forem necessárias
trago nos pés, a sede do chão e amo a estabilidade das pedras,
tanto, que se castigada por feridas, torno-me mais forte.

Eu sempre cicatrizei rapidamente
pois tenho comigo, a certeza de minha fé
e a paz do caminhar motivado pelo amor...

E junto do amor, tenho também
todas as fraquezas, todas as coisas tolas,
todos os sonhos de todas as noites e dias
e todas as razões para nunca desistir.

Pretendo viver com todos os erros e acertos
que me forem concedidos
 e aceito em mim qualquer falha,
desde que, eu possa voltar atrás
sabendo-me merecedora dessa chance.

Mas nunca, nunca aceitaria me descobrir
ausente de mim mesma...

lumansanaris 27/06/2012
Imagem: Google 

ANDRADAS


Ah, quanta saudade eu sinto
dos doces tempos de outrora.
Dor tanta, qu’o meu peito chora
por saber deste tempo extinto.

Saudosa, resta-me a recordação
de um chão inundado de beleza
onde o simples brota com realeza
e atinge altitude do Pico do Gavião.

O solo já farto do café e das vinhas
também oferta água em abundância
esmerado berço de minha infância
onde nada me faltava, tudo eu tinha!

Com suas praças, repletas de vida
enamorados ali, perfumam os ares
fazem dos bancos, os seus altares
e da igreja Matriz, a sua acolhida.

Ah, que saudade da minha Andradas
conhecida também por terra do vinho
cidade de tradições, maior em carinho
aos pés da Mantiqueira cinzelada.

E estas mi’as lágrimas na face tatuadas
são ais de saudade e pura contemplação
buscando o repouso na palma das mãos
ao desenharem versos para ti, Andradas.

Lumansanaris

ESTÁTUAS


 É no vértice dos altares, onde a arte habita,
que o meu espírito busca repouso...
 As pálidas frontes, seduzem-me ao toque,
e os seus gélidos contornos, 
emprestam-me uma imensidão de vida.
Entregue e completamente seduzida
pela rara essência de seus muitos mistérios
 - em silente adoração -
alcanço das somas, a máxima harmonia.
E o meu espírito, em forma de brisa
desnuda-as a virgindade dos suspiros
invocando-as a entrega...
E suas respostas, são em coro,
um lindo coro lírico...
E elas dançam bem no momento
em que os sinos, anunciam aos ventos
o acréscimo das horas...
É no vértice dos altares, onde a arte habita
que o meu espírito celebra a vida
pois, que das pálidas frontes - vazias -
transborda um espírito chamado poesia.

Lumansanaris 
*Imagem Eros e Psique Canova


TÃO SOMENTE AMOR


Meus olhos repousam em sua lembrança
os meus pensamentos procuram os seus,
silenciosa e insistentemente
por saber que nada pode parar um rio
quando este, parte em busca do mar.

Transformei a nostalgia da distância
fiz do seu colo, o meu travesseiro
e quando a noite cai
sussurrando-me seu nome
impõe-me o prantear das lágrimas
quase que em número de estrelas.

Esse amor é como chuva mansa
que acalma a brasa de minha dor.
E infinito, 
não mais computa tempo ou a distância,
é tão somente, sentimento.

Rosa nua de espinhos, desprotegida,
porém forte, 
por não querer as suas mãos machucar.

Que é tão profundo quanto o alto mar,
fonte de minhas mais lindas visões
de cores raras, inéditas e florescentes...

Amor que quando pensa que acabou,
prova que ainda vive
porque ultrapassou todos os limites.
Amor que a cada dia semeia mais esperança
e é forte, mas inocente como uma criança
e só por isso faz com que eu seja 
de todos, 
a mais tola.

Amor que teima em viver
e somente por amor, aceita morrer.
Amor, que a cada dia ganha mais força
pois espera que quando tudo mais acabar
ele, em meio a pó e cinzas
possa se levantar,
porque se vê destinado a desenhar
as linhas que descrevam
o que é a eternidade.

Amor que nada tem
totalmente ausente do toque,
prazer permitido apenas ao vento.
Amor completo
por não depender de posse,
alimentando-se apenas
do mais puro sentimento,
somando coisas simples, a todo momento.

Amor que silencioso, grita aos ventos
e fez de sua simples existência,
contentamento.

*Lumansanaris
Imagem: Google

AH ESSE AMOR...


E o amor se apresenta tão de repente
e me vem simples, manso, conhecedor de si.
Fez-se sol em minha necessidade de vida,
coloriu o fim de tarde com tons rubis para me inspirar
e nomeou a lua como madrinha de meus sonhos.

Ah esse amor...
Põe-me a contemplar toda a beleza
e ainda me diz que ela está no brilho dos olhos meus,
ah amor, estes meus olhos são apenas espelhos
feitos da prata advinda dos olhos teus.

Ah esse amor...
É do querer tudo, com a pressa do acontecer
e a cada passo que dá
semeia pétalas pelo caminho,
perfuma as minhas vontades
e faz transbordar minhas vaidades.

É nada saber em posse de toda a verdade,
e o que vive pensando em morrer
para mais uma vez nascer
vencedor do tempo, dono da eternidade.


Lumansanaris
Imagem: Google


PALAVRAS DE VIDRO

________________________________________________________
     Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, 
porque dele procedem as fontes da vida...
(Provérbios 4:23)
________________________________________________________
                                    
                           E eu, refém das palavras
                        Acabei desenhando mapas
                        Que me deixaram livre
                         De qualquer defesa

                                             E muito do que pertencia
                                             As coisas de dentro
                                             Acabou sendo ofertado
                                             Aos quatro ventos

                        Embriagada de palavras
                        E sentimentos...
                        Desnudei sem medo e malícia
                       Toda a minha alma
                                            
                                             E agora percebo
                                             Que os meus tesouros
                                             Foram todos saqueados
                                          
                        Bem no momento em que a alegria
                        Serelepe e menina
                        Brincava de vir morar dentro de mim.


Lumansanaris

 

AMOR ANTIGO


Ao amor Antigo

         O amor antigo vive de si mesmo,
         não do cultivo alheio ou de presença.
         Nada exige nem pede. Nada espera
         mas do destino não nega a sentença.
                                                 O amor antigo tem raízes fundas,
                                                 feitas de sofrimento e de beleza.
                                                 Por aquelas mergulha no infinito,
                                                 e por estas suplanta a natureza.
            Se em toda parte o tempo desmorona
            aquilo que foi grande e deslumbrante,
            a antigo amor, porém, nunca fenece
            e a cada dia surge mais amante.
                                          Mais ardente, mas pobre de esperança.
                                          Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
                                          e resplandece no seu canto obscuro,
                                          tanto mais velho quanto mais amor.

**Carlos Drummond de Andrade

Amor Antigo

     O amor antigo é feito de profundas raízes
     Entrelaçadas a rocha escondida na terra
     Por momentos que se tatuaram na alma, 
     Provando pro tempo, a força do seu existir.
                         
                           É a constante busca por respostas
                           E a completa ausência de razão e lógica.

     Ele se cala na dor,
     Sonha com as alegrias
     E tudo perdoa.

                            O amor antigo, faz até da saudade abrigo
                            Sabendo que tudo pode suportar.
                            Ganha importância  com o tempo
                            Enquanto se renova a todo instante.
                          
     Sonha com a eternidade
     Enquanto segue
     Colorindo cada página de uma vida
     Que por ele, espera merecer.

                              Vive sem nada receber
                              E sobrevive
                              Independente do quanto possa sofrer.

     Portar no peito um amor antigo,
     É conhecer o céu,
     Sem mesmo ter que morrer.
                                    
 **Lumansanaris
Imagem: Google


O QUE HABITA EM MIM...


Quando busco a verdade
procuro em meu coração
e te encontro.
  
 Nos momentos em que quero sonhar
fecho os meus olhos, e, nunca falha
a tua imagem vem me visitar.

 Quando penso na tristeza,
sei que desconheço o que te magoa
mas a dor eu sinto... e como dói...

 Quando miro para o meu coração,
confiro que de todas as forças, a maior é o amor
coloquei então as minhas forças em tuas mãos.

 Quando furiosa, tento indagar ao amor
o por quê de sua insistente rebeldia
ele apenas sorri e me diz o teu nome.

E essa é a essência de minha poesia
letras simples, mas repletas de sentimento
lágrimas de emoções soltas ao vento.

 O impossível que em mim, sempre existirá
a verdade que no peito irei calar
o sentimento que para ti, nunca irá somar

... mas que ainda assim, habitará em mim...

Lumansanaris
Imagem: Google



LOUQUINHA DE AMOR


Mesmo que mil noites tempestuosas me abraçassem 
Teus olhos inda teriam poder de lavar minha tristeza
E se a flecha da saudade, o meu peito transpassasse
Seria pela tua falta, meu anjo... Ah pode ter certeza!

Eu tenho todos os meus espaços preenchidos por ti
E se algo mais vier e não for teu, não caberá em mim
Porque os meus sonhos se formam quando tu sorris
E isso é mágico demais e quero que continue assim.

Porque eu amo tudo que vem de ti e ainda te amo mais
Porque chegas docemente portando o infinito nas mãos
Porque condenaste o inferno só para me oferecer a paz
E em todo tempo me perguntas como está meu coração.

Então eu respondo: Ah amor, o meu coração está em ti
E eu também e todo o meu amor e a minha saudade...
E os anjos
 todos riem de nós, sei que riem, eu os ouvi!
E inda afirmam que de tanto amor, falta-nos a sanidade.

E se for isso... então que permaneça para sempre assim
E se o tempo fortalece o amor, nada poderá nos segurar
Então eu te desafio a ser louco, só que bem perto de mim
Pois não há no mundo o que me faça deixar de te amar.


Lumansanaris 
Imagem: Google

Real Time Web Analytics